Pular para o conteúdo principal

Agroecologia e o manejo do solo

Na atualidade há três formas principais de se manejar o solo agrícola: o manejo químico (ou convencional), o orgânico por substituição de insumos e o agroecológico. No manejo agroecológico, deve-se trabalhar ecologicamente, ou seja, manejar os recursos naturais de forma a respeitar o sistema natural de cada local, envolvendo o solo, o clima, os seres vivos, bem como as inter-relações existentes entre eles. Dessa forma, os manejos agrícolas são realizados segundo as características locais do ambiente, necessitando, portanto, de conhecimentos adquiridos através das vicências e observações de cada agricultor. O manejo agroecológico dos solos se baseia em cinco pontos fundamentais: 

- Solos vivos e bem estruturados:
Um solo vivo pressupõe a presença de variadas formas de organismos interagindo entre si, e interagindo com os componentes minerais e orgânicos do solo. Essa dinâmica biológica exerce uma função essencial na agregação do solo, de modo a torna-lo grumoso e permeável para o ar e para a água. 

- Biodiversidade:
 A manutenção de grande diversidade de plantas em uma mesma área é uma estratégia da natureza para construir maiores níveis de estabilidade na produção biológica, um exemplo de mecanismo natural se dá a partir da secreção de substâncias tóxicas por determinadas espécies, evitando o nascimento de sua própria semente em alguns metros de distância. Além disso, há a necessidade de fornecimento de matéria orgânica diversificada, fomentando o desenvolvimento de variadas formas de vida, aumentando o leque de nutrientes mobilizados. 

- Proteção do solo contra o aquecimento excessivo, o impacto da chuva e o vento permanente:
Para a proteção do solo contra o aquecimento e o impacto da chuva, os solos devem ser cobertos, ou por palha ou por uma vegetação densa. Com a manutenção dessa cobertura, a água se infiltra com mais facilidade no solo, e além disso, favorece que não haja a evaporação da água, e a mesma pode se conservar ao alcance das raízes mesmo após longos períodos sem chuva.

-Bom desenvolvimento da raiz: 
Promove a manutenção do solo bem estruturado e permite que o sistema radicular das plantas cultivadas tenha um bom desenvolvimento e explore grande volume de solo. 

-Autoconfiança do agricultor:
Instituiu-se nos agricultores a crença de que é necessário assistência técnica para manejar o solo, e como não são capacitados para realizar análises e interpretar por si só os resultados, foram condicionados a receber orientações. Já na agroecologia, em vez de receber receitas técnicas prontas, o agricultor passa a observar, pensar e experimentar, e a partir disso, ganha autoconfiança. 


O dia do solo é comemorado no dia 03 de maio

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Horta beneficiando e sendo beneficiada pela comunidade

Estimular o convívio entre as pessoas e com a natureza no ambiente urbano sob uma visão de sustentabilidade e saúde é uma boa forma de definir o objetivo da Horta. E nada mais ilustrativo do que a doação que recebemos e a que fizemos:



Rodas de chá na Horta

A Horta convida a todos para participar desses "cházinhos", em parceria com o Centro de Referência em Alimentação e Nutrição do Centro de Saúde Escola Geraldo de Paula Souza (CRNutri). Esses encontros propiciarão a degustação de chás aromáticos e terapêuticos, o compartilhamento de informações sobre plantas medicinais e um período de vivência na Horta FSP. Interessados?




Controle Biológico de Pragas: PULGÕES

Em uma horta, manter a harmonia  natural do sistema é a melhor forma de fazer o controle biológico de pragas. Existem espécies de plantas que ajudam a manter esse equilíbrio e controle natural.
Uma das pragas mais comuns nas hortas são os pulgões, pequenos insetos (cerca de 3 mm de comprimento) que se alimentam sugando a seiva das plantas e são capazes de se multiplicar com  rapidez.
Espécies como cravo de defunto, arruda, manjericão, lavanda, hortelã, entre outras com aromas fortes, ajudam a espantar os pulgões, que as detestam. Já a capuchinha atrai os pulgões para si, servindo como uma espécie de armadilha na sua horta. Essas plantas são ótimas companheiras na sua horta, contribuindo na manutenção do equilíbrio e no controle natural de infestações. Outra ótima companheira para sua horta é a joaninha, Ao contrário dos pulgões e outros insetos que se alimentam das plantas e podem ser prejudiciais para sua horta, a joaninha é uma ótima companheira para suas plantinhas. Joaninhas são…