terça-feira, 13 de dezembro de 2016

1° FEIRA DA HORTA DA MEDICINA

            No dia 09 de dezembro a horta da FMUSP realizou sua primeira feira  com uma diversidade de atividades como: Oficina e dicas de como plantar e cultivar em casa, tour pela horta, expositores e  oficinas de PANCs.  


               A HORTA DA FSP contribuiu com uma oficina de minhocário doméstico.


           Dar um destino correto aos resíduos orgânicos de casa como cascas de frutas e legumes é mais simples do que se pensa. Vamos ver como foi?

Conhecendo as partes do minhocário 

Composição: 2 baldes, 1° balde para armazenar resíduos e o 2° coletar o chorume (líquido biofertilizante).







Montando as camadas

camada seca com palha, serragem ou folhas secas e camada úmida com resíduos orgânicos




Camada seca com serragem





Procurando  minhocas




                            Veja a seguir o passo a Passo de como montar o seu

Suporte: 
Para colocar embaixo da composteira para que a torneira fique acessível no momento da retirada do composto líquido. Esse suporte pode ser blocos de concreto, tijolos, caixa de feira, madeira, móvel, etc.

Materiais:
2 baldes de plastico de 5 litros ( pode ser aqueles que vem produtos alimentícios)
1 torneira de filtro
furadeira

Como montar:

  • No primeiro balde   será armazenado os resíduos orgânicos, deve fazer furos em todo fundo para permitir que o chorume escorra, e alguns furos na lateral para a ventilação (pois as minhocas e e as bactérias que irão decompor os alimentos precisam de oxigênio)
  • A primeira camada: "Cama das minhocas": substrato (terra+composto) e minhocas 
  • Minhocas: (californianas, pois se interessam por resíduos "mais frescos", enquanto as minhocas de jardim se interessam por resíduos em estágio avançado de decomposição.
  • O tamanho do minhocário depende da quantidade de resíduo gerado na residencia
  •  O 2° balde será para armazenar o  liquido chorume, e assim será feito o encaixe da torneira( e desta forma retira-se o biofertilizante produzido).

Resíduos secos - Serragem, folha, palha ou grama:
Para misturar e cobrir os resíduos de cozinha que serão depositados na composteira. Encontre uma fonte natural (jardim, praça, parque, etc) próxima da sua casa ou procure uma marcenaria ou madeireira no seu bairro e peça para eles separarem serragem grossa sem verniz para você! Não use serragem de compensado ou aglomerados que possuem cola em sua composição.

1° parte
 Acomode os resíduos orgânicos na caixa de cima em um montinho, sem espalhá-los. Desta forma, você precisará de menos matéria vegetal seca para cobrí-los

2° parte:
Misture os resíduos recém colocados com matéria vegetal seca e cubra-os completamente. Isso garantirá um processo de decomposição eficaz e evitará a incidência de moscas, larvas e mau cheiro.
Obs: Repetir os passos 1 e 2 até completar


3° parte:
Para as minhocas digerirem os resíduos em menos tempo, corte em pedaços de no máximo 4cm ou triture-os antes de colocá-los na composteira.


4° parte: O  minhocário mostrado no evento tinha só dois baldes (um p/ resíduos e um p/ chorume), mas é possível utilizar mais. 
Quando a caixa digestora de cima encher, faça a troca de posição com a caixa do meio. A caixa que estava no meio, que acaba de subir, receberá os novos resíduos orgânicos. Não há necessidade de colocar minhocas nessa caixa. Elas subirão naturalmente em busca de novos alimentos.


5° parte:
No momento da troca das caixas, esvazie e lave a caixa coletora


6° parte:
Sugerimos que cada caixa seja completada em aproximadamente 30 dias. Neste período, as minhocas processarão os resíduos orgânicos da caixa do meio transformando-os em adubo.

Mais informações no  programa Composta São paulo.
disponível em PDF: http://www.resol.com.br/cartilhas/compostasp_pdf_site.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário